Últimas notícias.

Gildásio Alves estava na varanda de casa, na cidade de Teixeira de Freitas, no extremo sul da Bahia, quando foi atingido por um raio e teve 70% do corpo queimado, no último dia 4. A intensidade da descarga elétrica recebida pelo idoso, de 64 anos, durante o incidente foi tanta que desfez o tecido de suas roupas e danificou acessórios como óculos e relógio, ocasionando queimaduras de segundo e terceiro graus. Ele foi socorrido por vizinhos e levado para o hospital municipal e, em seguida, foi transferido para um hospital privado.  Na segunda-feira passada (6), a equipe médica que o acompanhava solicitou sua regulação para unidade com suporte especializado, sendo aceito no Hospital Geral do Estado (HGE), que é referência no tratamento de queimaduras. “Fui muito bem acolhido desde o acidente. Até agora, tudo foi fácil, graças a Deus. Só tenho a agradecer, uma referência boa aqui no estado da Bahia, o HGE. Estou muito satisfeito”, contou Gildásio. Foram cerca de sete horas entre o pedido dos médicos para a regulação do paciente para o HGE e a chegada até o hospital, em Salvador. A rapidez da transferência é resultado do pronto atendimento da Central Estadual de Regulação (CER), da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), à demanda de Gildásio, associado ao transporte via unidade de terapia intensiva (UTI) aérea, viabilizado pelo Governo do Estado. O equipamento fez com que o tempo de deslocamento dos 800 quilômetros, entre sua cidade e a capital, se encurtasse.  O atendimento ao idoso, tanto na regulação quanto durante o tratamento no HGE, tem surpreendido Joare, filho caçula de Gildásio, que acompanha o pai desde a saída de Teixeira de Freitas. “Os médicos solicitaram a transferência [para o HGE] por volta das 13h [de segunda]. Embarcamos no aeroporto de Teixeira na mesma tarde e, por volta das 20h, já estávamos no HGE”, conta. Gildásio é um dos 19.434 pacientes regulados, em todo o estado, no mês de outubro, três mil a mais na comparação com o mesmo período de 2022, quando a CER registrou 16.366 pessoas encaminhadas para internações hospitalares em todo o estado. O recorde de internação do último mês é comemorado pela diretora da Regulação, Rita Santos. Segundo ela, o resultado veio a partir do trabalho de excelência prestado pela equipe da Central – que, atualmente, conta com 600 profissionais, entre médicos reguladores e auxiliares de regulação –, integrado à oferta de equipamentos de saúde e sua capilaridade em todo estado “Isso se deve à ampliação dos serviços e leitos que o governo do Estado vem garantindo a cada mês. Essas ações, implantadas em todas as regiões de saúde, têm garantido, não só um número maior de atendimentos, mas, também, a redução no tempo de espera”, afirma a diretora da Regulação Rita Santos.

Tags relacionados:

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.