Últimas notícias.

Um grupo de pesquisadores de Vitória da Conquista, coordenado pelo professor Wilson Rodrigues, criou a startup BiotechLife e desenvolveu biocanudos a partir de materiais encontrados no sudoeste baiano. O objetivo do projeto é contribuir para a preservação do meio ambiente, buscando reduzir o uso de canudos de plástico, que demoram até mil anos para se decompor. O Biocanudo foi formulado a partir de ingredientes como milho, Mayzena Duryea, glicerol, Vetec e gel de Aloe vera, também conhecido como babosa. O protótipo produzido é consistente, maleável e possui uma duração de até 15 minutos quando submerso em diferentes líquidos, como temperatura ambiente (25º C), refrigerado (7º C) e bucal (36º C). Estudos indicam que a vida útil média de um canudo de plástico é de apenas quatro minutos, o que torna o biocanudo desenvolvido pela BiotechLife uma alternativa comercialmente viável. Segundo o professor Wilson, a escolha das matérias-primas levou em consideração a composição química das substâncias. A amilose presente no amido é responsável pela formação de um biofilme, que é reforçado pela adição do gel de Aloe vera, resultando em características mecânicas como resistência e tração. O glicerol atua como agente plastificante, reduzindo a fragilidade do filme e aumentando a flexibilidade do produto. Além de contribuir para a preservação do meio ambiente, o projeto também busca beneficiar o desenvolvimento econômico regional. Na primeira etapa, foram utilizadas folhas frescas de Aloe vera obtidas de produtores rurais das cidades de Brumado e Rio do Antônio, o que pode gerar uma nova fonte de renda para a região. A iniciativa também promove a conservação da vida marinha, a promoção da saúde humana, a mudança de comportamento e o avanço tecnológico. A BiotechLife é uma das startups aprovadas no Edital Centelha, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), e conta com parcerias da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Os próximos passos do projeto incluem a regulamentação da fabricação do Biocanudo dentro da incubadora de empresas da Ufba e análises físicas e químicas do produto pela equipe de Controle de Qualidade da BiotechLife. A equipe de pesquisa é composta pelos pesquisadores Talisson Dias, Dayse Alexia de Carvalho, William Soares e Erica da Silva.

Tags relacionados:

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.